Programa “EdUENF Difundindo a Ciência”

  1. UENF

Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

PROEX

 

DADOS CADASTRAIS

1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

1.1. Universidade Estadual do Norte Fluminense

1.2. Centro: CCH

1.3. Laboratório ou Setor: LCL

1.4. Coordenador:

Leonardo Rogério Miguel Editor-chefe EDUENF eduenf@uenf.br

1.5. Título do Projeto
EDUENF: VÍNCULOS EDITORIAIS ENTRE A EXTENSÃO E A CIÊNCIA

1.6. Grande Área do Conhecimento do Projeto: especificar escolhendo uma das opções abaixo.

Grande Área

Ciências Biológicas e Fisiológicas

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Agrárias e Veterinárias

Ciências Humanas

Ciências da Saúde

Ciências Sociais e Aplicadas    X

Engenharias

Lingüística

Letras e Artes

 

1.7 – Linha de Extensão do Projeto: especificar dentre as 53 linhas de extensão a(s) que melhor se insere(m) na proposta.
As Linhas de Extensão em que melhor se insere o projeto são:
17. Divulgação Científica e Tecnológica: Difusão e divulgação de conhecimentos científicos e tecnológicos em espaços de ciência, como museus, observatórios, planetários, estações marinhas, entre outros; organização de espaços de ciência e tecnologia;
33. Mídia artes: Mídias contemporâneas, multimídia, web arte, arte digital; formação, memória, produção e difusão cultural e artística;
34. Mídias: Produção e difusão de informações e conhecimentos através de veículos comunitários e universitários, impressos e eletrônicos (boletins, rádio, televisão, jornal, revistas, internet, etc.); promoção do uso didático dos meios de comunicação e de ações educativas sobre as mídias.

1.8. Área Temática do Projeto. São oito áreas temáticas segundo a RENEX.

Área Temática                Principal                    Secundária

1. Comunicação                    X

2. Cultura

3. Direitos Humanos

4. Educação                                                               X

5. Meio Ambiente

6. Saúde

7. Tecnologia

8. Trabalho

9. Nenhuma (secundária)

 

1.9. Resumo: descrever sucintamente (no máximo 500 palavras) com objetivos, metodologia e resultados esperados.

O presente Projeto visa criar uma área comum que reúna as iniciativas de divulgação e popularização da ciência, ou mesmo uma prática de letramento científico, considerando a crescente demanda de publicações especializadas, online e impressa, além da própria editora da UENF na sua atividade-fim. Os princípios fundantes do Projeto repousam na ideia segundo a qual “cada vez mais a universidade brasileira se dá conta de que a atividade editorial acadêmica é, antes de mais nada, parte constitutiva da maturidade intelectual da instituição”, de acordo com estudo exploratório conduzido por Marques Neto (2003). E, com isso, ao criar subsídios e infraestrutura técnica, a Editora poderá propor ações e encaminhar políticas de dinamização e de divulgação da ciência, albergando outros projetos afins além daqueles que subscrevem o Programa a ser proposto A EdUENF DIFUNDINDO A CIÊNCIA. A EdUENF é uma editora universitária, nascida de uma experiência nova de Universidade, caso da UENF, que tem como finalidade a publicação de livros científicos a partir de uma política que apoie o ensino, a pesquisa e a extensão norteada pelo critério de qualidade. No entanto, sua atuação não se restringe apenas à publicação de livros, mas na transformação do evento de lançamento de um livro numa atividade científica de discussão, debate e reflexões sobre o papel da ciência, da extensão e da pesquisa, de forma a sensibilizar a comunidade para o vasto papel da academia no desenvolvimento da região.

A equipe de bolsistas a ser montada, com trabalhos coordenados, manterá a Editora ativa em diversas frentes, tais como criação e manutenção de página na internet, redação e distribuição online, e sempre que possível impresso, de material de divulgação e catálogos dos lançamentos. Faz parte do seu trabalho organizar eventos, divulgar, distribuir o livro, com compromisso social e didático, enfim, promover o livro e o periódico enquanto agentes de transformação, protagonistas da cena universitária. O efeito esperado é a restauração da ideia do livro e do periódico na sua essencialidade, alavanca do progresso científico e cultural.

 

1.10. Palavras – chave:

Divulgação da ciência; Popularização da ciência; Editoração; Extensão.

1.11. Público-Alvo (qualitativo):

O projeto tem como público alvo toda a comunidade universitária nos seus diversos setores, bem como a comunidade externa que tenha interesse compartilhado na divulgação da ciência por meio de produção editorial.

 

1.12. Público Atingido (quantitativo): O público a ser atingido pela proposta é tanto maior quanto maior for a extensão e a regularidade das ações da Editora. Na medida em que o professor se engaje em atividades que demandem divulgação, consequentemente a Editora corresponderá a ela. Nesses termos, o quantitativo é o da totalidade de docentes-pesquisadores da Universidade e todo o conjunto de alunos de graduação e pós-graduação a eles ligados. Esse total pode ser calculado em torno de 1.000 indivíduos, considerando apenas o público interno.

1.13. Carga Horária:

A carga horárias de trabalho semanal é de 20 horas semanais, sendo que 5 horas serão destinadas à discussão criteriosa das iniciativas propostas, e 15 de práticas coordenadas em torno da rotina da atividade editorial em si.

1.14. Local de Atuação: O local a ser desenvolvido o trabalho é o campus universitário a partir da sede da Editora, com extensão para os demais campi não só da Uenf como de outras instituições de ensino superior e médio da região.

1.15. Período de realização:

de 01/06/2018 a 31/05/2019.

1.16. Fonte de financiamento:

As bolsas serão financiadas com recursos da UENF, previsto no Edital de Bolsas para Programas e Projetos de Extensão da UENF.

1.17. Parcerias:

1.18. Envolvidos:

Leonardo Rogério Miguel, coordenador

Vanessa Nascimento

Marcos José Vieira Curvello

Clara Mara Gonçalves Chaves

Flávia Werneck Lopes

 

1.19. Contatos:

 Leonardo Rogério Miguel, eduenf@uenf.br

 Vanessa Nascimento Corrêa, vanessanascimentojornalismo@gmail.com

 Marcos José Vieira Curvello,  mjvcurvello@gmail.com

 Clara Mara Gonçalves Chaves, clarachaves55@gmail.com

 Flávia Werneck Lopes, flaviawl.ci@gmail.com

 

1.20. Voluntários:

Por enquanto, não temos indivíduos voluntários.

2. CONTEÚDO DO PROJETO:

2.1. TÍTULO: EDUENF: VÍNCULOS EDITORIAIS ENTRE A EXTENSÃO E A CIÊNCIA

2.2. INTRODUÇÃO

A divulgação da ciência é uma das atividades mais produtivas de uma instituição universitária, uma vez que o tripé sobre o qual se firma – o ensino, a extensão e a pesquisa – se beneficia dela diretamente. Pode-se mesmo dizer que ela promove e integra essas três importantes bases da Universidade. Esta atividade não pode ser executada pela assessoria de comunicação unicamente seja pela natureza da informação que lhe compete veicular, seja pelo público mais heterogêneo ao qual ela se dirige. Portanto, esta é uma ação específica, de um setor igualmente específico, inteiramente orientado para tal fim. A Editora, no seu papel intrínseco, vive um momento salutar, construído pela facilidade de comunicação e acesso à informação, que propiciou a criação e circulação do livro online, por exemplo. Também a editoração do livro ficou mais ao alcance de segmentos mais variados. Um livro tem dupla existência: o impresso, com tiragem mais limitada, e sua versão eletrônica, disponibilizada livremente e a custo ínfimo. Este é o espírito da Editora, ainda mais uma editora universitária.

A produção editorial no âmbito acadêmico é um a ferramenta que propicia largamente a necessária interlocução entre os pares. Consideramos, pois, o fato de que é na interlocução eficiente entre todos os atores que integram a universidade que a divulgação se estabelece com mais afinco e produtividade. A divulgação da ciência se beneficia diretamente do estágio em que se encontram os meios de comunicação e informação digitais, mas esse benefício não é automático e precisa de ações que a reconfigurem. Também as tecnologias digitais não substituem integralmente as antigas formas de divulgação, como os seminários e simpósios internos e externos, as atividades obrigatórias de programas de bolsa como os de Iniciação à Ciência, à Docência, Extensão e Pós-Graduação, além dos grupos de pesquisa.

Por isso, precisamos considerar os instrumentos clássicos de divulgação, quais sejam os periódicos científicos, o livro, o catálogo, o boletim técnico, o manual didático. É nesses termos que uma Editora Universitária deve se inserir em todas as atividades de divulgação da ciência como uma instituição dinâmica que não produz apenas livros, mas também a concepção da ciência a partir de seu principal vetor: os efeitos que causa socialmente a divulgação de um saber novo, recém-descoberto pela ação da pesquisa.

A EdUENF surgiu como importante setor na Universidade há mais de 10 anos, mas só agora é que ela poderá dinamizar suas ações em torno dessas citadas atividades. Por enquanto, dadas as limitações que tem vivido, ela mal tem editado livros, o que só ocorre quando há verbas de projetos disponíveis. Com a dinamização que supomos ser possível com a aplicação deste Programa, a Editora abrirá suas portas e suas potencialidades afirmativas emprestando suporte a pelo menos duas das pró-reitorias da Uenf, a de Pesquisa e Pós-graduação e a de Extensão.

Não devemos esquecer o apoio imprescindível ao ensino e, assim, o benefício à próreitoria de Graduação, a partir do momento em que o professor poderá disponibilizar, de forma impressa ou eletrônica, o material didático de que ele precisa, de forma ágil e produtiva. Assim se completa o ciclo, lembrando mais uma vez que sua ação permitirá tanto a divulgação da ciência, que é um produto direto da pesquisa, quanto a sua visibilidade externa e ação social, na Extensão.

A ação da Editora será, portanto, de dentro para fora e, consequentemente, de fora para dentro. Uma editora que esteja sempre presente nas suas atividades trará o benefício de uma identidade que toda instituição busca.

 

2.3. JUSTIFICATIVA

A Editora pode e deve funcionar como uma caixa de ressonância da Universidade nos seus contextos externos. Ela produz o fim último da busca pelo conhecimento: o livro e, futuramente, o periódico e os demais veículos de divulgação da ciência. Ela produzirá uma diversidade bastante expressiva de materiais outros com o qual o público externo em seu primeiro contato com a Instituição se identificará.

O Projeto se justifica pelo fato de que uma editora executa políticas editoriais não apenas com o objetivo de evidenciar os seus lançamentos, mas por se preocupar em espelhar os seus propósitos de divulgação da ciência, especialmente em uma instituição universitária. Nesses termos, a Editora universitária é uma caixa de ressonância da instituição que representa, ainda mais considerando a vitalidade do trânsito da informação e do letramento científico sob tantas variantes tecnológicas.

2.4. OBJETIVOS E METAS

Gerais e específicos.

Os objetivos se resumem no seguinte:

 O Projeto tem como objetivo redimensionar o papel editorial da EdUENF como agente dinamizador da produção e da divulgação científica, agremiando todos os projetos de divulgação da ciência que se encontram hoje isolados;  Estabelecer-se como polo de discussão editorial dos caminhos de divulgação e consumo da produção científica da Universidade, associando-se a todo e qualquer projeto nesse sentido.

Os objetivos específicos são:

 Instrumentar a Editora com pessoal técnico de apoio que, no trabalho coordenado com o Conselho Editorial, providenciará suas ações pontualmente;  Expandir sua política editorial apoiando eventos científicos na Universidade tais como Congressos, Simpósios, Colóquios, Encontros;  Manter-se aparelhada para atender as demandas de publicação crescentes;  Inserir a EdUENF no catálogo das editora universitárias brasileiras, filiando-a a ABEUAssociação Brasileira de Editoras Universitárias;

 

2.5. METODOLOGIA DE AÇÃO

O projeto consiste em criar na Editora uma ação baseada na reflexão sobre o modo como a pesquisa, o conhecimento científico resultante e a sua consequente divulgação operam no meio acadêmico, ambiente por excelência de produção. Nesses termos, o Conselho Editorial com sua equipe de bolsistas ora requisitados construirão uma interlocução entre os diferentes segmentos da Universidade nos seus interesses específicos. Assim, a metodologia consiste numa ação integradora entre a comunidade universitária e a Editora como um setor operante e presente, em consonância com os órgãos colegiados, agilizando o trânsito da comunicação acadêmica e orientando-a para a produção dos seus melhores efeitos. A Editora, assim, será um canal de interlocução entre autores, docentes e os editores de revistas a exemplo das que já temos consolidado.

A editora opera, assim, um segmento vivo, patrocinador da arte, da cultura e da ciência. A interlocução da Editora com o pesquisador é incentivada de modo a criar o circuito necessário de produção.

 

2.6. IMPACTOS DESEJADOS

Toda Editora, consolidada dentro de uma Universidade, é, necessariamente, agregadora e aglutinadora dos interesses acadêmicos. Com isso, ele retoma o valor do livro como objeto de ciência, vivo e dinâmico, na interlocução que se constrói entre o autor, o leitor e a comunidade universitária interna e externa.

É assim que se desenha o esquema abaixo, segundo o qual a relação do autor com o leitor se dá como ação científica entre comunidades e interesses recíprocos.

O que se produz na Universidade só terá validade se transformar o mundo, atingindo-o de forma construtiva e integradora. A atividade extensiva é o braço que vai até lá fora legitimar o saber e o investimento público em ciência e tecnologia.

2.7. AVALIAÇÃO

Podemos estabelecer um instrumento próprio de avaliação, que consistirá na avaliação dos relatórios finais. Um seminário interno provocará uma reflexão sobre o estágio inicial, no momento em que o Programa for implantado, e o estágio final, com seus resultados concretos. A avaliação também será permanente, com reuniões regulares para avaliação dos erros e acertos, correções de rota, solução para os entraves encontrados. Tudo isso fará parte do relatório, que dará visibilidade ao caminho percorrido.

 

2.9. CRONOGRAMA DE EXECUÇMeta                                 Período                           Observações

 Definição das metas de organização de                              04/2016                  (Atividade do primeiro bimestre)

uma rotina de trabalhos e atividades a partir

de uma agenda;

 Organizar os arquivos da Editora criteriosamente;

 

 Estruturação da Editora nos seus espaços físicos              05/2016                 (Atividade do primeiro bimestre)

e das ações específicas que se espera de cada um deles;

 

 Inserir sistemas e softwares nos computadores                05/2016                 (Atividade do primeiro bimestre)

para operar os trabalhos;

 

 Apoio aos eventos científicos diversos, tais como     06 /2016 a 03/2017   (cinco bimestres sucessivos, atividades-                                                                                                                                               chave)

o Confict, Mostra de Extensão, de PósGraduação,

Semana Acadêmica

 Estabelecimento de padrões

de recepção e de contatos;

 Criação dos espaços virtuais

da Editora/Programa, como por exemplo, o site da Editora;

 Divulgação técnica e jornalística de eventos. Manutenção;

 Atualização constante dos Conselhos Consultivos de Áreas);

 

Acompanhar serviços gráficos de editoração dos livros;            07 /2016 a 03/2017  (Atividade que ocorrerá mais                                                                                                                                         intensamente quando se prepara um livro,

ou qualquer impresso ou on line)

 Acompanhar o design gráfico de periódico/livro on line;

 

 Organizar lançamento de livro com evento formal com        07 /2016 a 03/2017   (A repetição de datas tem a ver                                                                                                                 com a regularidade e repetição de atividades frequentes)

expositores, debatedores e certificação;

 

2.9. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CANOSSA-MENDES, João Carlos; RESTREPO, Juan Felipe. Edición universitária em América latina. Debates, retos, experiências. Bogotá: Editorial Universidad del Rosario, 2011.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1998.

DUMONT, Lígia Maria Moreira; CARVALHO, Maria da Conceição et al. A editoração no Brasil: aspectos gerais. R. Esc. Bibliotecon., UFMG, Belo Horizonte, 8(2): 156-184, set. 1079.

EDITORAS UNIVERSITÁRIAS BRASILEIRAS ESTUDO EXPLORATÓRIO. Coordenação geral, concepção, redação de José Castilho Marques. NetoIesal/UNESCO, 2003.

GASQUE, Kelley Cristine Gonçalves Dias. Letramento Informacional: pesquisa, reflexão e aprendizagem. Brasília: Faculdade de Ciência da Informação / Universidade de Brasília, 2012.

GUEDES, Maria do Carmo; PEREIRA, Maria Eliza Mazzilli. Editoras Universitárias: uma contribuição à indústria ou à artesania cultural? São Paulo em Perspectiva, 14(1), 78-84, 2000.

HALLEWELL, Laurence. O Livro no Brasil: Sua História, Trad. de Maria da Penha Villalobos, Lólio Lourenço de Oliveira e Geraldo Gerson de Souza, 2. ed. rev. e ampl., São Paulo, Edusp, 2005.

SANTOS, Inajara Cristina dos; SCHENEIDER, Vanderlei Edson; VIEIRA, Eusélia Paveglio. Estratégias de distribuição e comercialização de uma editora universitaria do Rio Grande do Sul. Qualit@s Revista Eletrônica, vol. 8, n. 1, 1-16, 2009

Fechar Menu