Pesquisa destaca a transição de atividades econômicas em Campos dos Goytacazes

Estudar na UENF e fazer parte da Iniciação Científica foi um sonho concretizado pela estudante Eliara Tavares de Souza Tavares, 29 anos, que na época morava no interior de Campos dos Goytacazes (Distrito de Travessão) e sempre estudou em escola pública. Hoje ela cursa Administração Pública na UENF.

“Sempre tive o sonho de cursar Administração, porém não tinha como pagar uma faculdade particular e não existia o curso em uma universidade pública na cidade. Assim, prestei vestibular para a UFF para o curso de Economia, entrei na primeira turma e me formei. Em 2014 resolvi fazer o Enem novamente e consegui ingressar na UENF em 2015 pelo SISU”, disse a estudante.

Chegar à UENF foi um obstáculo vencido, mas Eliara queria mais conhecimento e para isso precisava de apoio e dentro da Universidade conheceu o trabalho do professor Ricardo André Avelar da Nóbrega, que lhe apresentou a IC, logo em seguida conseguiu uma bolsa do CNPq.

“A IC tem uma importância enorme pra mim. Desenvolver uma pesquisa aguça o saber, a curiosidade, e faz a gente compreender muitas coisas. Sem dúvida o enriquecimento do aprendizado é a melhor parte, além de ajudar muito com a monografia a ser desenvolvida. Além disso, realizei apresentações da minha pesquisa nos formatos de banner e oral no Congresso Fluminense de Iniciação Científica e Tec
nológica – CONFICT, um congresso que abre portas, e na Semana de Economia da Universidade Federal Fluminense – UFF”, ressalta.

“Minha meta é seguir com o Mestrado na UENF, em Sociologia Política ou em Políticas Sociais, e aprofundar mais o meu tema de pesquisa. Sempre gostei da área de Ensino. Meu objetivo é seguir uma carreira acadêmica e poder compartilhar e adquirir novos conhecimentos por meio do ensino de qualidade proposto pela UENF”, conclui Eliara.


Conheça a pesquisa

A pesquisa desenvolvida pela estudante Eliara Tavares tem como tema “Do ouro branco da terra ao ouro negro do mar: a transição de atividades econômicas em Campos dos Goytacazes”, e é desenvolvida no Laboratório de Estudo do Espaço Antrópico (LEEA), do Centro de Ciências do Homem (CCH), sob orientação do professor Ricardo André Avelar da Nóbrega. A pesquisa relata a transição de atividades econômicas na cidade de Campos, que conseguiu grande projeção nacional no fim do século XIII e início do século XIX, com a atividade açucareira.

“É uma pesquisa que requer muito estudo porque Campos já viveu tempos áureos, tendo como atividade principal a açucareira. Com a instalação das primeiras usinas, já no final do século XIX, o setor começa a entrar em decadência devido à concorrência tanto em território nacional como internacional. Na segunda metade do século XX houve a descoberta do petróleo na região começando a atividade de exploração e produção de petróleo no final dos anos de 1970 e início dos anos de 1980”, informou a estudante.

Eliara relata ainda em sua pesquisa a atual situação econômica do município, que hoje vive da arrecadação dos Royalties do Petróleo. “Na atualidade o setor também está em crise, e mais uma vez a economia campista se vê dependente. Por anos a arrecadação foi muito grande, no entanto, faltaram projetos e investimentos em outros setores para que a economia não se tornasse dependente de apenas um setor. Agora com a produção de petróleo cada vez menor, devido aos campos maduros da Bacia de Campos, os Royalties e as Participações Especiais também reduziram drasticamente, e a administração do município que sempre contou com tais recursos para o pagamento de suas despesas, vê a receita reduzindo cada vez mais. A minha pesquisa visa estudar quais seriam as opções de melhoria para o emprego dos recursos que vêm do setor petrolífero, a fim de melhorar o quadro socioeconômico da cidade”, finaliza.

Por Jane Ribeiro

Retornar à home da Revista
Fechar Menu