Depoimentos de algumas cientistas da UENF

Adriana Jardim de Almeida
Laboratório de Clínica e Cirurgia Animal (LCCA) – CCTA

 

“A mulher tem tido uma inserção cada vez maior na Ciência, com mais representatividade. Percebemos o maior interesse das mulheres na pesquisa científica desde a graduação, havendo grande procura por projetos de Iniciação Científica e igualmente durante a Pós-Graduação. A pesquisa científica só tem a ganhar com a dedicação das mulheres. Minha maior conquista como cientista é a possibilidade de contribuir com a formação dos alunos e auxiliar à população e aos seus animais”.

 

 

 


Ana Bárbara Freitas Rodrigues
Laboratório de Morfologia e Patologia Animal (LMPA) – CCTA

 

“É sempre bom lembrar que a presença efetiva das mulheres no universo científico é uma conquista que devemos às mulheres que foram pioneiras na Ciência. Mulheres corajosas e que enfrentaram a tradicional e exclusiva figura masculina no campo científico. Não posso elencar a minha maior conquista no meio científico, pois percebo que essas conquistas vão sendo construídas durante toda a vida acadêmica. No entanto, me sinto plenamente realizada em pesquisar, descobrir e disseminar conhecimento científico, especialmente quando tenho plena certeza de que esse conhecimento foi essencial para formação de um indivíduo, ou quem sabe, de uma sociedade”.

 

 


Ana Paula Madeira Di Beneditto
Laboratório de Ciências Ambientais (LCA) – CBB

 

“Provavelmente, o principal papel das mulheres na Ciência é a quebra de paradigma em relação as suas habilidades. A habilidade da mulher na organização familiar já é bem estabelecida, bem como seu sucesso profissional em várias frentes de trabalho. A mulher que se envolve na Ciência demonstra a sua habilidade intelectual de modo abrangente e profundo, abrindo portas para a geração de conhecimento e incentivando outras mulheres a seguir o mesmo caminho. Minha maior conquista foi contribuir na formação de outros cientistas, independente do gênero”.

 

 

 


Angela Pierre Vitória
Laboratório de Ciências Ambientais (LCA) – CBB

 

“O papel das mulheres na Ciência é fundamental. Por séculos, a ciência foi pensada e produzida por homens, avançamos em inúmeros aspectos, isso é indiscutível. Não havia espaço para as mulheres pensarem e tomarem atitude na sociedade antiga. Vejo que esta mudança é lenta, mas sem volta, e as mulheres têm conquistado cada vez mais espaço na Ciência e em outras áreas da sociedade. Minha maior conquista como cientista é despertar nos alunos o interesse pela Ciência, mostrar que ela está em tudo e que o conhecimento transforma”.

 

 

 


Antônia Elenir Amâncio Oliveira
Laboratório de Química e Função de Proteínas e Peptídeos (LQFPP) – CBB

 

“A igualdade de gênero é uma luta constante para a classe feminina e não seria diferente na ciência. A fixação, cada dia maior, de mulheres na Ciência mostra que nós viemos para ficar. A presença das mulheres na carreira científica é algo definitivo e em constante crescimento. A maior conquista que um cientista pode ter é formar novos e bons cientistas. Jovens graduados, mestres e doutores com uma formação sólida. A oportunidade de transformar a vida desses jovens é o que a Ciência me proporciona de melhor”.

 

 

 

 


Cláudia Sales Marinho
Laboratório de Fitotecnia (LFIT) – CCTA

 

“As mulheres participam ativamente da construção do conhecimento científico, desde o seu começo, sendo esse o seu papel na Ciência. Parece óbvio, mas a questão do preconceito de gênero impediu o acesso à educação científica formal no penúltimo século, por exemplo. Minha maior conquista como cientista foi a autonomia para questionar as verdades ditas como absolutas. E esse processo de produção do conhecimento, que vivenciei durante a minha trajetória, reflete-se nos alunos que ajudo a formar”.

 

 

 


Denise Cunha Tavares Terra
Laboratório de Gestão de Políticas Públicas (LGPP) – CCH

 

“Houve significativos avanços no que diz respeito à inserção e à participação das mulheres no campo científico. Atualmente, é possível perceber o crescente número de mulheres na maioria das universidades do país como docentes e pesquisadoras. Apesar disso, as mulheres enfrentam dificuldades em se estabelecer em determinadas áreas que são consideradas masculinas. Minhas conquistas como cientista não são conquistas individuais, mas fruto do estudo e debate entre pesquisadores de instituições acadêmicas locais que tem se preocupado em produzir conhecimento sobre a nossa região”.

 

 


Elaine Cristina Pereira e Oliveira
Laboratório de Materiais Avançados (LAMAV) – CCT

 

“Ao longo da história, o papel das mulheres na ciência foi expressivo e as suas contribuições científicas e tecnológicas se manifestaram nas mais diversas áreas do conhecimento, entretanto, nunca foi dado a elas, o seu devido reconhecimento. O preconceito, o machismo e a maternidade foram alguns limitadores para o crescimento profissional e o reconhecimento das mulheres na história da Ciência. Minha maior conquista como cientista, além da participação como mulher no campo científico, é fazer parte do corpo docente da UENF”.

 

 

 

 


Janie Mendes Jasmim
Laboratório de Fitotecnia (LFIT) – CCTA

 

“O papel das mulheres na Ciência é o mesmo que têm os demais membros da Comunidade Científica, ou seja, desenvolver a Ciência, isto é, adquirir conhecimento empregando o método científico e organizá-los de maneira que possam ser compreendidos e usados. Considero conquista tudo aquilo que faço e que é entendido, usado, traz benefício e bem-estar a qualquer pessoa, grupo, segmento, etc., por menor que seja. Se alguém foi (é ou será) beneficiado direta ou indiretamente pelo que faço, fiz ou virei a fazer, para mim isso é uma grande conquista – a maior”.

 

 


Kátia Valevski Sales Fernandes
Laboratório de Química e Função de Proteínas e Peptídeos (LQFPP) – CBB

 

“Além do fazer Ciência por si, a participação da mulher em diversos campos da Ciência fornece a possibilidade de contribuirmos com uma perspectiva feminina à resolução de problemas que nos afligem em nossas sociedades. Além disso, a vocação científica independe de gênero e o fato de sermos minoria, ainda, em alguns campos da Ciência, reflete uma barreira histórica que nos foi imprimida e a qual precisamos derrubar. A maior conquista como cientista é sentir muita satisfação de ter escolhido a trilha da pesquisa científica, aliada ao magistério”.

 

 

 

 


Maria Cristina Canela Gazotti
Laboratório de Ciências Químicas (LCQUI) – CCT

 

“Na história houve grandes cientistas mulheres e só não houve mais porque muitas se dedicaram a exercer papéis impostos para elas. As mulheres são especiais e têm habilidade em entender a Ciência com uma visão ampla e ao mesmo tempo detalhada, quando deve ser de uma maneira ou de outra, faz com que tenham muito êxito em suas descobertas. Minha maior conquista é formar novos pesquisadores, formar estudantes que gostem de fazer Ciência e que reconheçam isto”.

 

 

 

 


Maria Cristina Gaglianone
Laboratório de Ciências Ambientais (LCA) – CBB

 

“As mulheres são protagonistas em trabalhos científicos importantíssimos com consequências inovadoras em áreas muito diferentes. Muitas vezes não conseguiram o espaço e reconhecimento merecidos, em função de discriminação e preconceito, em uma sociedade essencialmente masculina. Hoje, fazemos parte de um movimento de mudança neste quadro, o que é essencial para alcançarmos a sustentabilidade em uma sociedade justa. É difícil identificar uma única maior conquista como cientista, são as pequenas vitórias do dia-a-dia que me movem. Contribuir para a conservação ambiental e participar da formação de novos cientistas nesta área são as minhas maiores alegrias nesta profissão de grandes desafios.”

 


Maura da Cunha
Laboratório de Biologia Celular e Tecidual (LBCT) – CBB

 

“Meu trabalho foi sempre em cima de muito amor ao que faço e responsabilidades que adquiri ao longo de minha carreira, principalmente, com a formação de recursos humanos frente ao que ensino, porém, compreendendo a importância da equidade social da mulher e a necessidade de dar visibilidade à atividade científica feminina. Meu maior orgulho como cientista é ter formado pesquisadores/professores espalhados pelo Brasil”.

 

 

 


Rosana Rodrigues
Laboratório de Melhoramento Genético Vegetal (LMGV) – CCTA

 

“Tratar do papel da mulher na Ciência passa por palavras como obstáculos, preconceito, determinação e coragem. Mas, não devemos esquecer que essas mesmas palavras estão ligadas a outras atividades exercidas por mulheres em atividades tradicionalmente associadas ao masculino. Sem dúvida, hoje existe muito mais reconhecimento, incentivo e apoio à participação das mulheres na Ciência, e existem muitos exemplos de mulheres que tiveram papel fundamental para a ciência. Em nosso país, isso pode ser notado no número de mulheres que têm ingressado nos Programas de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado, além de iniciativas como premiações e datas comemorativas para a presença das mulheres na ciência. Acredito que uma das maiores conquistas que uma cientista, que também é docente, pode almejar e atingir é ver seus estudantes crescerem profissionalmente e realizarem seus sonhos.”

 


Silvia Alicia Martínez
Laboratório de Estudo da Educação e Linguagem (LEEL) – CCH

 

“O papel das mulheres na Ciência é fundamental. Nos últimos anos, ficaram evidenciadas as maiores dificuldades enfrentadas pelas mulheres no âmbito científico. Essas dificuldades se relacionam com a maternidade, já que até os dias atuais se atribuem  os papéis  do cuidado, especificamente, às mulheres. Mas a maior dificuldade que atravessam as mulheres é o acesso a espaços de poder, seja no interior das universidades, ou, por exemplo, na presidência ou condução de associações ou fundações  científicas ou na liderança de grande equipes de pesquisa. Minha maior conquista é ter contribuído fortemente para a escrita da história da educação no estado do Rio de Janeiro”.

 


Simonne Teixeira
Laboratório de Estudo do Espaço Antrópico (LEEA) – CCH

 

“Desde o princípio dos tempos, as mulheres, assim como os homens, produzem conhecimentos a partir da observação dos fenômenos naturais. A agricultura, e hoje temos por certo, é resultado das ciosas observações destas com relação à germinação e sazonalidade dos vegetais. Hoje, o expressivo número de mulheres nas universidades, comprova que a Ciência também é um lugar feminino por excelência. Acompanhar as pesquisas de meus alunos, vê-los adquirir autonomia intelectual, perceber como o trabalho científico os torna mais comprometidos com as questões sociais e ambientais, considero a parte mais gratificante do trabalho como cientista”.

 


Valdirene Moreira Gomes
Laboratório de Fisiologia e Bioquímica de Microrganismos (LFBM) – CBB

 

“O papel das mulheres na Ciência é acima de tudo INSPIRAÇÃO… capacidade de superação e quebra de paradigmas. Nos dias de hoje, mesmo que, em algumas áreas do conhecimento, a participação das mulheres na Ciência seja numericamente bem representada e até equitativa, existem ainda muitas desigualdades. As mulheres têm um papel fundamental na transformação dessa realidade, sendo continuamente progenitoras do conhecimento científico, inspiradoras de conquistas e acima de tudo, guerreiras em tempo integral. A maior conquista é, sem dúvida, as sementes plantadas. Sementes que passam a germinar através de cada estudante que atravessou o seu caminho”.

 

 


Wania Amélia Belchior Mesquita
Laboratório de Estudo da Sociedade Civil e do Estado (LESCE) – CCH

 

“Historicamente, as mulheres têm ocupado uma posição subalterna nas diversas atividades sociais. A  presença feminina na Ciência é crucial para alcançarmos a equidade entre gêneros, pois quebra determinados mitos e estereótipos ligados à figura feminina. A maior conquista é participar de estudos e pesquisas com estudantes e pesquisadores comprometidos com o processo de investigação e produção do conhecimento nas Ciências Sociais,  em vista da necessidade de compreensão dos processos sociais e  de consideração da complexidade do mundo contemporâneo, especialmente, das dimensões da realidade social brasileira e das desigualdades sociais.”

 

 


Por Francislaine Cavichini

Retornar à home da Revista

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC
Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
Av. Alberto Lamego, 2000 - Parque Califórnia
Campos dos Goytacazes - RJ
CEP: 28013-602