EdUENF no X Congresso de Iniciação Científica (CONFICT)

A EdUENF esteve presente nesta segunda-feira (25/06) na abertura do maior evento de iniciação científica do estado do Rio de Janeiro, o X Congresso de Iniciação Científica e Tecnológica (CONFICT) e do III Congresso Fluminense de Pós-Graduação. O tema deste ano é “Ciência no nosso dia-a-dia”. Os congressos acontecem até o dia 29/06 no Centro de convenções da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) e reúnem as três maiores instituições de ensino público do norte e noroeste fluminense, UENF, Instituto Federal Fluminense (IFF) e Universidade Federal Fluminense (UFF-Campos).

O objetivo dos congressos é discutir temas atuais de relevância e apresentar as pesquisas desenvolvidas nos Programas de Iniciação Científica e Tecnológica e nos Programas de Pós-Graduação destas instituições. O evento também antecede as comemorações do aniversário de 25 anos da UENF, que será no dia 16 de agosto.

A cerimônia de abertura contou com os reitores Luís César Passoni (UENF), Jefferson Manhães de Azevedo (IFF) e Sidney Luiz de Matos Mello, na mesa de apresentação e o palestrante Professor Ildeu de Castro Moreira, Presidente da Sociedade Brasileira para o Congresso da Ciência (SBPC). Também teve exibição e apresentação dos trabalhos científicos dos alunos dos cursos de graduação e pós-graduação das instituições participantes.

Para o reitor da UENF, Luiz César Passoni, o papel da universidade pública na questão do ensino e a pesquisa, é muito importante na produção do conhecimento para a sociedade.

– “É necessário preservar a universidade pública, pois há um retrocesso do país no que diz respeito ao desenvolvimento global”, destacou. Passoni ressaltou que é necessário dar atenção ao fato de que, hoje, pobres estão fazendo doutorado e se formando em cientistas. “Eles estão retornando para a universidade como docentes, e isso é muito bom para a sociedade”.

O reitor da UFF, o professor Antônio Cláudio Lucas de Nóbrega, também ressaltou a importância de se levar a ciência para todos.

– Precisamos somar esforços das universidades públicas da cidade, para que todos tenham acesso à ciência”, explicou.

Já Jefferson Manhães de Azevedo, reitor do IFF, falou que é um grande desafio inserir a ciência no dia a dia das pessoas.

– “O Estado brasileiro tem que ser o protagonista na mudança da educação pública. É preciso que haja uma educação

de qualidade para todos”, defendeu.

O palestrante da cerimônia de abertura, o professor Ildeu de Castro Moreira, falou sobre a crise e os desafios na ciência brasileira.

– Houve redução dos recursos para a iniciação científica, isto contribui para o retrocesso no crescimento de novos mestres e doutores. Porém, de 1985 até 2015, houve um crescimento deles, hoje, o país tem cerca de 20 mil doutores, segundo a Capes, afirmou Ildeu.

Por Vanessa Nascimento

Fotos: Vanessa Nascimento

Fotos do estande da Eduenf

Fotos dos outros estandes participantes do Confict 

Fechar Menu