Mobilidade urbana em debate no XII CONFICT e V CONPG

O professor Rômulo Dante Orrico Filho, da COPPE/UFRJ, defendeu na última quarta-feira, 14/10/20, na UENF, a criação de um “pacto pela mobilidade urbana sustentável”, encabeçado pelas universidades e aglutinando o poder público e a sociedade. “Precisamos mudar essa política de mobilidade urbana que está aí, garantindo a todos acesso amplo aos serviços públicos e ao mercado de trabalho. Mobilidade urbana depende de inclusão social”, disse.

Orrico proferiu a palestra intitulada “Mobilidade urbana sustentável: um desafio para o desenvolvimento” no segundo dia do XII Congresso Fluminense de Iniciação Científica e Tecnológica (CONFICT) e V Congresso Fluminense de Pós-Graduação. A mediação ficou por conta do professor Guilherme Cordeiro (CCT/UENF).

Dentre as ações possíveis para a melhoria do transporte público, ele defendeu a cobrança de tarifas para aqueles que utilizam veículos próprios para se locomover. “O usuário do transporte individual também se beneficia do transporte público. Imagina se a maioria das pessoas não usasse o transporte público. Não ía ter como trafegar de tanto carro na rua”, disse, acrescentando que em alguns países da Europa isso já é feito.

Além de medidas diretamente voltadas para a melhoria dos serviços ofertados (ônibus, trem, metrô etc) – como a criação de linhas circulares entre bairros, valorizando as “centralidades” que a cidade possui -, ele defendeu ações que facilitem o transporte ativo, como caminhadas e bicicleta. “Temos que pensar no transporte público como algo mais amplo. De que adianta pavimentar ruas e deixar as calçadas estragadas? É preciso melhorar as calçadas, arborizar as ruas, criar ciclovias etc”, disse.

Segundo o professor, o transporte público precisa estar alinhado com o planejamento urbano, “um ajudando o outro”. “A gente tem que desenhar uma rede de linhas que atenda às necessidades da população e também o potencial da cidade que precisa ser desenvolvido. Ou seja, atender à população, mas também àquilo que o planejamento urbano quer que a cidade se transforme”, disse.

Iniciado na última terça-feira, 13/10/20, o XII CONFICT e V CONPG se estende até sexta-feira, 16/10/20, com sessões de pôsteres, palestras e atividades culturais. Este ano, em virtude da pandemia do coronavírus, o evento está sendo realizado de forma virtual, através do Facebook da UENF.

Nesta quinta-feira, a partir das 16h30, será realizada a palestra “Contribuição das ciências básicas na meta de desenvolvimento sustentável que visa o controle de doenças negligenciadas. O exemplo da Doença de Chagas”, com a professora Lúcia Mendonça Previato, da UFRJ, membro titular da Academia Brasileira de Ciências e da Academia de Ciências dos Países do Mundo em Desenvolvimento.

Veja a programação completa no site do evento.

Fechar Menu