Pesquisa da UENF será apresentada na Rio Innovation Week, nos dias 15 e 16 de janeiro

Pesquisadores da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) vão participar da Rio Innovation Week (RIW) com o projeto “Produção de fibronectina recombinante humana utilizando biorreatores bovinos”. O evento acontece entre os dias 13 e 16 de janeiro, das 10h às 21h, na sede do Jockey Club Brasileiro, na Gávea, no Rio de Janeiro.

Iniciado em 2020, o projeto tem o objetivo de produzir um biorreator bovino que secrete a fibronectina no leite. A proteína possui uma aplicação de grande interesse para a medicina, humana e veterinária, porque pode ser usada como componente de bandagens para a hemostasia e em processos cicatriciais, agudos ou crônicos.

De acordo com Ângelo Burla, coordenador do projeto e professor do Laboratório de reprodução e melhoramento genético animal (LRMGA/CCTA), o trabalho foi estruturado ao longo dos últimos anos, após cinco editais da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ).

“O projeto ‘Produção de fibronectina recombinante humana utilizando biorreatores bovinos’ foi iniciado em 2020. Começamos a nos estruturar em 2011, quando formamos um grupo para trabalhar com transgenia. Participamos de editais onde estruturamos o laboratório, conquistamos o Certificado de Qualidade em Biossegurança (CQD), que autoriza os trabalhos com transgênicos e plasmídeos e somente em 2020, após a conquista da certificação, começamos a atuar nesta pesquisa”, ressaltou.

A pesquisa será apresentada no stand da FAPERJ nos dias 15 e 16 de janeiro, sábado e domingo. Segundo o coordenador da pesquisa, o apoio e reconhecimento da UENF e da FAPERJ são muito importantes.

“Obtivemos resultados positivos para a produção de células da glândula mamária in vitro e para alguns embriões transgênicos para a produção da fibronectina, no fim do último ano. Estamos satisfeitos e muito empenhados em seguir para próxima etapa, que é fazer uma linhagem celular, onde tenhamos a certeza de que todas as células expressam o gene codificador da fibronectina”, completou Ângelo.

Luis Fonseca Matos é professor do curso de Veterinária, atua na área de Reprodução de Animais, destacou o objetivo da pesquisa e a importância do evento.

“O projeto é complexo, porque envolve várias etapas desde a biologia molecular até a reprodução animal. Somos uma equipe multidisciplinar e cobrimos todos esses estágios dentro da pesquisa, cada um na sua área de atuação, com o objetivo de obter um animal que produza leite com a fibronectina. O RIW é um caminho importante para divulgar o nosso trabalho, captar recursos e manter uma rede de contatos com outros pesquisadores”, ponderou.

Álvaro Rios atua na concepção Genética da pesquisa. Para ele, o trabalho mostra a relevância da Universidade na produção de conhecimento científico em áreas de interesse da saúde humana.

“É muito importante que a UENF seja representada no evento, porque mostra a importância da Universidade na produção de conhecimento científico e como pode ser levado à sociedade, com a produção de biofármacos. A partir desse trabalho também capacitamos novos pesquisadores na área, para destacar o valor da Universidade, não só na pesquisa básica e aplicada para a população, mas na formação de novos pesquisadores atuando em biotecnologias de última geração”, finalizou.

O trabalho é desenvolvido pelos pesquisadores da UENF Ângelo Burla, Álvaro Rios, Maria Clara Bussiere, Luis Fonseca Matos, Paula Mangiavacchi e Carla Sobrinho Paes; além dos pesquisadores André Rios, da UFF, Raquel Serapião, da Universidade de Vassouras e Willian Velander, da Universidade de Nebraska (EUA).

Fechar Menu