Professor da UENF eleito editor-chefe da Revista Brasileira de Fruticultura

O professor Alexandre Pio Viana, do Laboratório de Melhoramento Genético Vegetal do Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias da UENF (LMGV/CCTA), foi escolhido para a função de editor-chefe da Revista Brasileira de Fruticultura, periódico científico da Sociedade Brasileira de Fruticultura (SBF). Primeiro professor da UENF a ocupar este posto, Alexandre Pio Viana — que trabalha na área de melhoramento de espécies frutíferas — será o editor-chefe da Revista até o ano de 2024.

Criada em 1978, a Revista tem periodicidade bimestral, apresentando artigos técnicos científicos e comunicações científicas na área de fruticultura, referentes a resultados de pesquisas originais inéditos, redigidos em português, espanhol ou inglês. Nas últimas avaliações, a Revista tendo recebido conceito B1 da Capes nas últimas avaliações.

Como editor-chefe, Alexandre Pio Viana irá coordenar todas as ações da Revista. “Vamos colocar em prática um novo planejamento estratégico para a RBF, que vai desde a reformulação de sua edição digital até a alteração do seu nome para inglês, atuando a longo prazo para o aumento do seu JCR (Journal Citation Reports). 

Alexandre Pio Viana

Alexandre integra o corpo editorial da Revista há cinco anos, como editor da área de Melhoramento de Plantas. Sua escolha – para o biênio 2022-2024 – ocorreu em assembleia ordinária da Sociedade Brasileira de Fruticultura, através do voto da maioria dos associados presentes. 

Segundo ele, a escolha de um represente da UENF para editor-chefe da RBF é de suma importância. “É um evento de destaque no cenário nacional. Trata-se de uma revista muito tradicional para os grupos de pesquisa ligadas à área de ciências agrárias, o que coloca a UENF em evidência e em liderança neste importante veículo de publicação científica”, afirma. 

Na opinião do professor, as pesquisas em fruticultura a cada dia ganham mais relevância no país. “Em 2021 a exportação de frutas movimentou a cifra de 1,2 bilhões de dólares no agronegócio brasileiro. Trata-se de um setor produtivo que no Brasil tem grande mercado interno, e tem capacidade de grande geração de empregos. As pesquisas em Fruticultura dão o suporte a essa atividade, sendo uma grande geradora de conhecimento e formação de recursos humanos que atuam nesta área”, afirma.

Atualmente, Alexandre desenvolve no LMGV/UENF pesquisas relacionadas ao melhoramento genético do maracujazeiro (Passiflora edulis), goiabeira (Pisidium guajava) e uva (Vitis vinífera). 

Fechar Menu