Palestra sobre mudanças climáticas encerra a XIII Mostra de Extensão UENF/UFF/IFF e V UFRRJ

Sérgio Besserman, pesquisador e professor (PUC-RJ), e Olney Vieira, membro da organização da XII Mostra e pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários (UENF). Foto: reprodução da internet

A XIII Mostra de Extensão UENF/UFF/IFF e V UFRRJ foi encerrada na tarde desta quinta-feira, 07 10/21. A programação contou com a palestra “Mudanças Climáticas – Conclusões do relatório IPCC”, ministrada pelo economista, presidente do Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro e professor da PUC-RJ, Sérgio Besserman Vianna.

Besserman iniciou a palestra falando sobre a história das mudanças climáticas e suas consequências recentes.

“O aumento da temperatura média do planeta pode incluir dias mais frios no inverno do Rio de Janeiro. Já aquecemos um grau na temperatura média. O frio do Ártico, do Polo Norte, costuma ficar contido, por conta da zona de pressão baixa e do regime de ventos, mas, com esse aquecimento de um grau que já houve, ele agora escapa. Há meses, provocou uma catástrofe em Houston que nunca havia acontecido e Houston congelou. Os pobres sofreram muito, porque, como sempre é no mundo inteiro, a desigualdade aumenta a vulnerabilidade”, completou.

O professor ponderou questões importantes sobre o parecer do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), que realiza relatórios de avaliação sobre o estado da arte científico, técnico e socioeconômico da mudança do clima, além dos impactos e alternativas.

“Muito da poluição urbana, principalmente do transporte de pessoas e cargas, nós temos que eliminar, porque eles nos adoecem e matam. Isso é grave. No Rio é grave, em São Paulo, na China. A nossa luta pra manter a temperatura até o final do século por, pelo menos, 2 °C aumenta muito os desgastes, os custos, os danos”, frisou.

O pesquisador alertou sobre o uso de energias renováveis para atenuar o processo de alto consumo do planeta.

“É fundamental, mas é preciso investimento para financiar inovação tecnológica, ciência e pesquisa. Já está tudo descoberto e, além de estar tudo descoberto, nós ainda vamos descobrir muita coisa. Ela representa entre 25 e 30% da redução de gases de efeito estufa”, completou.

Sérgio falou ainda sobre a importância da redução do desmatamento no Brasil, como o desenvolvimento sustentável na agricultura pode reduzir o impacto climático no planeta, a relevância de investimentos para aplicação da agricultura e pecuária de baixo carbono.

Logo após, foi realizada a cerimônia de encerramento, premiação e a apresentação do Coro do IFF campus Macaé.

Acesse a UENFTv e assista ao encerramento da XIII Mostra.

Fechar Menu