Projeto divulga informações sobre as árvores da UENF

Um dos locais de Campos com maior concentração de árvores por metro quadrado, o campus da UENF apresenta uma flora muito rica, que vem sendo estudada e apresentada através do projeto de extensão “Arvores da UENF: levantamento, identificação e divulgação”, coordenado pela professora Deborah Barroso, do Laboratório de Fitotecnia (LFIT) da UENF.

Iniciado em 2019, o projeto disponibiliza informações sobre as diversas espécies arbóreas plantadas nos campi da UENF (em Campos dos Goytacazes e em Macaé), com registros fotográficos e links de interesse, mostrando ainda os trabalhos de pesquisa desenvolvidos por pesquisadores da UENF em relação a estas espécies. As informações podem ser acessadas AQUI.

 “O projeto surgiu quando observamos que crescia o interesse da comunidade pelas árvores do campus.  As pessoas buscam informações sobre as espécies, doação de mudas. Além disso, como observamos diariamente, os espaços arborizados da UENF compõem os cenários de comemorações de datas marcantes e ensaios fotográficos. Então, pensamos em ‘apresentar’ essas espécies e suas curiosidades”, conta Deborah.

O projeto foi iniciado com o levantamento das espécies plantadas nos campi da UENF. Foi realizado o registro fotográfico, o levantamento das informações técnicas disponíveis na literatura e das pesquisas realizadas na instituição. “No nosso site, disponibilizamos imagens da UENF antes e depois dos plantios. Observa-se com nitidez como os espaços foram se tornando muito mais agradáveis”, diz a professora.

O conteúdo é constantemente alimentado e disponibilizado no site do projeto, podendo ser acessado por códigos bidimensionais (QRcod) fixados em alguns exemplares das espécies. Ao longo das atividades, o projeto foi convidado a realizar a identificação e plaqueamento no Yacht Clube Lagoa de Cima.

“Em 2003, o setor de Silvicultura realizou a doação e plantio de diversas mudas florestais para o Yacht Clube Lagoa de Cima. Também foi iniciado o levantamento e identificação em um condomínio residencial em Campos dos Goytacazes e em vias públicas de São Fidélis, por meio da importante participação de voluntários. Isso mostra que existe a demanda pelo compartilhamento deste tipo de informação, com a valorização do componente arbóreo. Com isso, temos ampliado o número de espécies catalogadas no site, indo além daquelas existentes na UENF”, conta Deborah.

Segundo ela, já foram identificadas 52 espécies no campus Leonel Brizola, 27 no campus Carlos Alberto Dias e 13 na Casa de Cultura Villa Maria. E no Yatch Club Lagoa foram plaqueadas 29 espécies. O projeto também realiza a produção e doação de mudas à comunidade. Em uma próxima etapa, será dada ênfase às informações “Da semente à muda”.

Segundo ela, entre os muitos serviços proporcionados pelas árvores, além da beleza dos locais, está o conforto térmico e a redução da poluição atmosférica.“Não há dúvidas sobre a importância das áreas verdes para nossa saúde física e mental. Cada vez mais, a comunidade ocupa os espaços abertos da universidade para lazer e atividades físicas, e a arborização tem papel importante nesta escolha”, diz.

Dentre as espécies encontradas no campus da UENF em Campos dos Goytacazes, há uma espécie ameaçada: a Paratecoma peroba (peroba do campo), localizada logo na entrada sua entrada.

O projeto foi iniciado em 2019 e tem a participação de três professores, dois alunos de graduação e um bolsista Universidade Aberta, além de vários voluntários.

Fechar Menu