UENF disponibiliza mapa de expressão gênica da soja

Um trabalho feito inteiramente na UENF, liderado pelo professor Thiago Motta Venâncio, do Laboratório de Química e Função de Proteínas e Peptídeos (LQFPP), está trazendo a público a maior coleção de dados de expressão gênica (transcriptoma) de soja até hoje realizada. O grupo fez uma análise integrativa de mais de 1.200 amostras de transcriptoma de soja e desenvolveu um servidor web para acesso público dos dados de forma amigável.

O trabalho foi publicado recentemente no periódico internacional The Plant Journal. Além do professor Thiago Venâncio,  o trabalho tem como autores: Fabricio Brum Machado (doutorando em Biotecnologia Vegetal), Kanhu C. Moharana (egresso do Programa de Pós-Graduação em Biociências e biotecnologia-PPGBB), Fabricio Almeida‐Silva (mestrando em Biotecnologia Vegetal),  Rajesh K. Gazara (egresso do PPGBB),  Francisnei Pedrosa‐Silva (doutorando em Biociências e Biotecnologia),  Fernanda S. Coelho (doutoranda em Genética e Melhoramento de Plantas) e a professsora Clícia Grativol, também docente do LQFPP/CBB.

Veja aqui o artigo publicado no The Plant Journal e acesse aqui a plataforma.

Thiago Venâncio (ao centro) e os demais autores do artigo publicado no The Plant Journal

Trata-se, segundo Thiago, de uma pesquisa que tem implicações tanto para a pesquisa básica quanto para o setor produtivo. “Na última década, dados de centenas de experimentos de expressão gênica em soja foram acumulados em bancos de dados públicos. É importante analisar e acessar esses dados em conjunto, pois eles foram processados de formas distintas pelos autores dos trabalhos originais”, explica Thiago.

Em outro artigo também publicado este ano no mesmo periódico, o grupo liderado por Thiago analisou detalhadamente os fatores de transcrição da soja, que regulam a expressão de outros genes. Veja aqui.

“O genoma de um organismo tem, em geral, milhares de genes. No caso da soja, são mais de 50 mil genes. Entender em que momentos, tecidos e níveis os genes são expressos é crucial para entendermos suas funções e como eles contribuem para a fisiologia e características do tecido em questão”, ressalta o professor.

Segundo Thiago, o trabalho tem implicações importantes na pesquisa básica na busca da elucidação de funções gênicas. “No âmbito mais aplicado, este repositório pode ser usado na mineração de genes candidatos para o desenvolvimento de cultivares melhoradas. Nosso grupo, inclusive, está aberto à interações com empresas interessadas em explorar este repositório”, diz o professor.

A publicação do grupo da UENF também é destaque no Boletim Faperj, financiadora do projeto. Veja aqui.

Fechar Menu